top of page

Da matéria ao espírito - A Arte de Destilar Plantas



A destilação de plantas é muito mais do que um processo técnico de extração de óleos essenciais. É uma viagem artística e espiritual que transcende os limites do físico, conectando a mente, o corpo e a alma.


Durante o ritual alquímico, a planta não é apenas uma fonte de matéria-prima, mas uma guia espiritual que, ao passar pelo processo de destilação, revela a sua essência mais profunda.



Ao mergulhar na arte da destilação, somos convidados a abandonar a pressa e abraçar a presença plena. A meditação torna-se uma parte intrínseca desse processo, pois exige concentração total, uma atenção delicada aos detalhes e um respeito profundo pela natureza. Cada passo é uma dança sincronizada entre o destilador (*a pessoa que destila) e a planta, uma coreografia que demanda paciência e sensibilidade.




A destilação não é apenas um acto físico, é um convite para afinar e apurar todos os 5 sentidos. O olfacto torna-se uma bússola, guiando-nos através das nuances aromáticas que emergem da fervura. O tacto aprimora-se ao sentir o calor subtil que transforma a planta em vapor, enquanto a visão contempla a dança etérea que acontece dentro do alambique.

Os sons suaves da natureza entrelaçam-se com os murmúrios do processo, criando uma sinfonia única. Nesse estado de presença intensa, a destilação transforma-se numa forma de meditação activa. O destilador* torna-se um mediador entre o mundo material e o espiritual, conduzindo a planta através de uma viagem alquímica.


Cada gota destilada é uma expressão da evolução espiritual da matéria, uma transformação que transcende o visível.


A planta, ao passar pelo alambique, não apenas libera os seus óleos essenciais, mas também partilha a sua história, onde cada célula vegetal carrega consigo uma sabedoria ancestral, uma mensagem que só pode ser decifrada na quietude da mente e na abertura do coração.


A destilação, portanto, é uma troca sagrada de energia, uma comunhão entre o destilador e a planta.



A Planta neste processo é espiritualizada... a sua essência, agora separada do corpo físico, transcende para um plano mais elevado. E essa essência é um elixir que não só perfuma o ar, mas também eleva a consciência daqueles que a recebem. É uma manifestação tangível da conexão entre o material e o espiritual, um recordar de que toda a natureza é sagrada e merece ser tratada com reverência.


Assim, a destilação de plantas torna-se numa arte sagrada, uma viagem espiritual que nos lembra da importância da presença, da atenção plena e do respeito à beleza intrínseca de toda a vida.


É uma dança entre o tangível e o intangível, uma celebração da alquimia que existe não apenas nos alambiques, mas também nos recantos mais profundos da nossa própria consciência.


Autor: Teresa Feijó - Todos direitos reservados

Fotografia tdr Mamitay : Pedro Sadio & Manuel Gomes da Costa


38 visualizações

Comments


bottom of page